Desvende-me

Minha foto
Feira de Santana, Bahia, Brazil
Mestrando em Modelagem Computacional pela Faculdade SENAI CIMATEC, Especialista em Matemática Financeira e Estatística pela Universidade Cândido Mendes UCAM, PósGraduado em MBA em Gestão de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas FGV, formado em Matemática pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci UNIASSELVI e Técnico em Segurança do Trabalho pela Organização Tecnológica de Ensino OTE, professor dos cursos de Engenharia de Produção, Administração e Contabilidade da UNIRB.

Lattes - Currículo Profissional

Cadastre AQUI seu e-mail.

Total de visualizações de página.

Você está aqui . . .

O mundo nos visita.Tem acesso até no Japão! Veja aí:

free counters

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Lendas do motor flex.


Paralelamente ao grande sucesso do motor flex, correm muitas histórias sobre o seu funcionamento. É só perguntar ao frentista do posto de combustível como se deve abastecer e surgem diversas sugestões. Há quem diga que é preciso colocar 50% de gasolina e 50% de álcool. Outros dizem que é preciso, na primeira abastecida, colocar somente gasolina. E assim vai.

Curiosamente, no porta-luvas do Corolla, o manual do proprietário recomenda abastecer com gasolina a cada dez mil quilômetros. Uma surpresa, pois vários engenheiros de montadoras já disseram que o motor flex pode ser abastecido com qualquer combustível.

Fábio Ferreira, gerente de desenvolvimento da divisão de sistema de gasolina da Bosch, uma das empresas que produz o sistema que permite o carro ser abastecido com gasolina ou álcool, é bem claro: ele diz que o sistema foi feito para que o consumidor abasteça o seu carro com qualquer combustível durante toda a vida do motor.

O que acontece, muitas vezes, é que a montadora coloca um tipo de combustível no carro para funcionar o motor e sugere que na primeira abastecida seja colocado o mesmo combustível, mas não determina que é preciso encher o tanque. É apenas para o sistema reconhecer o combustível. Mas nada que seja obrigatório.

Mas muita gente teve que abastecer com gasolina porque o carro estava com problema. Fábio explica o que ocorre:


O problema é a qualidade do combustível que está sendo utilizado. Quando o álcool não é de boa qualidade, os minerais vão se acumulando no filtro e, depois de um tempo, isso pode prejudicar o funcionamento do motor. Quando você abastece com gasolina, ela limpa o filtro, então o desempenho passa a ser melhor, criando o mito que é preciso colocar gasolina de vez em quando. Não é preciso colocar gasolina, apenas deve-se usar álcool de boa qualidade.

Mas, e o que diz a Toyota?

Segundo a assessoria de imprensa da empresa, o uso de gasolina a cada 10 mil quilômetros é para fazer a lubrificação do sistema. O álcool é um combustível corrosivo, o uso continuo pode prejudicar o sistema. Conforme o manual do proprietário do carro, abastecer com gasolina, além de fazer a limpeza do sistema, ajuda na lubrificação diz o assessor Eric Boccia.

Texto: José Carlos Pontes/AutoInforme

Fotos: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário